Nós

Luciana Meireles

Contadora de histórias, educadora, produtora cultural, griô aprendiz, doula e mãe de Inácio. São 15 anos aprendendo com a palhaçaria popular, teatro de terreiro, capoeira angola, Pedagogia Griô, medicinas da floresta, parteiras e erveiras. Brinca e recria a figura Maria Das Alembranças. É cocriadora da coletiva Casa Moringa e da Oficina Mulheres Brincantes, a serviço de criações colaborativas e do empoderamento feminino dentro das culturas populares.

Nara Oliveira

Designer e ilustradora que brinca nos caminhos da capoeira e das culturas populares, artes que alimentam seu trabalho e vida. Há mais de 10 anos, cria laços e pontes visuais entre o design e as manifestações e povos tradicionais, movimentos autônomos e iniciativas culturais. É cofundadora da Gunga, estúdio de comunicação que navega nos softwares livres como ferramentas de criação e filosofia. Seu trabalho autoral ganha vida na Amuleto Ilustrações, onde cria nos caminhos do sagrado.

Keyane Dias

Taguatinguense, neta da Caatinga, filha do Cerrado. É poeta, cordelista, jornalista e professora de Yoga. Há mais de 10 anos foi iniciada na Capoeira Angola e outras manifestações de tradição oral que seguem transformando sua visão de mundo. Em 2014, cofundou a Pareia Comunicação e Cultura. É mensageira aprendiz da corporeidade e filosofia do Yoga, da Ayurveda e das sabenças em saúde e cura dos brasis. Transborda tudo através da escrita, publicando em livros, folhetos e outras reinvenções literárias.

Fabíola Resende

Arte-educadora, brincante e professora da rede pública, licenciada em Artes Cênicas pela UnB. Por sete anos, caminhou em escolas do DF, Minas, Goiás e Bahia, contando histórias desde a fonte da Pedagogia Griô. Aprendeu a brincar mamulengo no Ponto de Cultura Invenção Brasileira e montou, em 2007, o espetáculo Vereda dos Mamulengos. Trabalha para unir arte e educação como uma possibilidade real de transformação social. Desde 2020, atua como vice-diretora do CEF Drª Zilda Arns do Itapoã, periferia do DF.

Camila Oliveira

Artista, viajante e pesquisadora. É formada na tradição oral por mestras e mestres de vida, dos terreiros e estradas, em especial no brinquedo tradicional de Seu Estrelo (2011/2019), onde percebeu a importância política do encantamento ao enxergar o mundo dançando, tocando, bordando e atuando. Licenciada em Dança pelo IFB (2017), atualmente pesquisa processo criativo na pós-graduação da UFBA (2020). Também se aventura pelo hibridismo da cena e do audiovisual, conectando saberes e ofícios.