A Casa Moringa é uma coletiva de encantarias, brincadeiras e teatro popular, com 12 anos de atuação no Distrito Federal. Um ponto de memória e cultura composto por artistas e educadoras mulheres e pessoas lgbtqiapn+. Nossa coletiva propõe uma comunicação entre as tradições ancestrais, tecnologias, ciências e artes contemporâneas, brasis profundos, periferias e centros, através de uma abordagem criativa, vivencial e colaborativa. Fruto do Movimento Nacional de Pontos de Cultura, da Escola de Formação em Pedagogia Griô e do Mercado Sul de Taguatinga, germinamos a partir da necessidade de criação de novos espaços para o protagonismo da mulher e da diversidade de gênero nas culturas populares. Saiba mais!

Projetos

Manutenção Casa Moringa 2023

Manutenção Casa Moringa 2023

Em 2023, a Casa Moringa está em processo de criação de uma nova brincadeira em torno do mito da Onça Yayá e da história de Taguatinga (DF), terra natal da nossa coletiva. A montagem conta com recursos do FAC-DF, na categoria Manutenção de Grupo. São 12 meses de processo criativo, oficinas e vivências, com mais de 20 mulheres e pessoas LGBTQIAPN+ reunidas. Estreia prevista para os dias 2 e 3 de dezembro de 2023.

Encontro de Mestras e Griôs do DF

Encontro de Mestras e Griôs do DF

Uma grande roda para dialogar sobre feminismos e ancestralidades, reunindo diferentes guardiãs de saberes, fazeres e ofícios tradicionais. Fundamentada na Pedagogia Griô, reúne mestras, aprendizes e público, construindo um espaço-tempo intergeracional de partilha para relembrar nossas matrizes e legitimar os espaços ocupados pelas mulheres mais velhas dentro das tradições.

Estrela da Tarde - Série Audiovisual

Estrela da Tarde - Série Audiovisual

Dirigida por Francisco Rio, a série se propõe a contar histórias ao redor de uma brincadeira, através da linguagem documental-ficcional. Com dança, experimentações visuais, poesia e música, Ivete Mangueira e Estelita Mangueira, falecidas durante a pandemia, são homenageadas por um Rio. A série aborda: memória, brincadeira, tradição, cidade, branquitude, dissidência e processo criativo.

Solares - Encontro de Mulheres Brincantes

Solares - Encontro de Mulheres Brincantes

Mostra artística que abre a cena teatral, musical, da dança e de múltiplas mídias no Distrito Federal para as inventivas brincadeiras tradicionais, com seus contemporâneos brinquedos e corpos brincantes. Propõe intercâmbios artísticos entre folgazãs e folgazões, cidade e diversidade de gêneros, corpos e tradições. Um projeto colaborativo de protagonismo e criação artística.

Caravanas

A Casa Moringa como ela é: em movimento. Itinerâncias que rodam o Brasil profundo dentro da rede de transmissão de saberes culturais através da oralidade. São giros entre diferentes territórios rumo ao encontro e reencontro com mestras, mestres e griôs, em parceria com brincantes, aprendizes, escolas públicas, comunidades e espaços culturais.

Caravana das Alembranças

Caravana das Alembranças

Caravana Casa Moringa

Caravana Casa Moringa

Caravana Griô

Caravana Griô

Brincadeiras e Espetáculos

A casa moringa é também sede de inventivos brinquedos e brincadeiras da cidade, uma casa que reúne figuras encantadas e suas poéticas e criações.

Vereda dos Mamulengos

A história de uma família de agricultores. Onde eles chegam, estão dispostos a plantar plantar, colher e preparar o alimento com alegria, superando surpresas naturais, peripécias humanas e opressões sociais. Entre brincadeiras e confusões cotidianas, Conceição e Benedito transformam desafios em vida, caminhando entre veredas e interiores do Brasil.

Maria Das Alembranças

Brincadeira interativa de contação de histórias e celebração comunitária. Maria das Alembranças é uma encantada mensageira das árvores, que abre caminhos com tecnologias de comunicação entre o passado e o futuro. Em roda e com cantigas e danças tradicionais, nos conta mitos de origem da vida e convida o público a se alembrar da cultura do cuidar e do bem viver.

 

Maria Pé de Vento

Maria, mensageira alada que pelo céu apanha e envia recados pelas auroras e azuis infinitos. Tem a ciência das muitas vozes do vento e a sabedoria das distâncias. Viaja por estradas celestes desde os tempos da construção da cidade de asas, Brasília, conhecendo e contando histórias. É especialista em futuro, estrelas e saudades.

Onça Yayá

Cortejo brincante de encantarias, poética feita por mulheres e pessoas com útero em louvação ao corpo-coletivo ancestral das avós e mães brasileiras. Uma criação colaborativa com a nova geração de brincantes do teatro popular de Brasília, reunindo figuras encantadas para convidar o público a celebrar o caminho da memória e do reflorestamento do imaginário. Um feitio popular de fé e esperança: “o que é necessário, necessariamente retorna”.

Rio Novo, Tempo e Minhas Mães

Através da estrutura de um chapéu de brinquedo, que lembra um barco, Francisco Rio conta segredos sobre a curiosa peça. Pela oralidade, vão se alinhavando detalhes de feitura de uma brincadeira e se desenhando personagens inventados e figuras reais, lembranças de acontecimentos históricos que compõem o chapéu-brinquedo. Uma dança acontece quando o Rio veste seu chapéu de barco.

Maria Garra

Santa Maria Garra cria chão para uma ancestralidade aleijada. A santa inventada que vira onça convida a olhar para o estranho e brincar com tudo o que a gente conhece por normalidade. Ela é memória viva, magia que transcende dos corpos desfigurados e aleijados. Reza pelas almas e corpos que não tiveram a chance de existir em plena liberdade. Ela reconfigura o que assusta e transfigura formas através das brincadeiras, feitiçarias e do chão que faz brotar.

 

Serviços

Vivência da Pedagogia Griô

Criação de espaços de rituais de vínculo e aprendizagem, a partir das artes, saberes e ofícios das tradições populares brasileiras. Com a metodologia da Pedagogia Griô, adaptamos cada vivência aos diversos espaços e públicos, proporcionando encantamento, conexões ancestrais e criações colaborativas.

Intervenções artísticas

Performances, cortejos musicais e poéticos com figuras encantadas, bonecos, perna de pau e outras magias brincantes. Transformamos eventos em uma celebração festiva e cultural, se adaptando a diferentes projetos, instituições, associaçṍes, movimentos sociais, sindicatos e outros espaços.

Oficina Mulheres Brincantes

Espaço de acolhimento, pesquisa e criação entre mulheres, a partir da brincadeira, da diversidade e de mitologias presentes nas tradições da cultura popular. Um processo criativo que gira em roda, desde 2014, parindo figuras encantadas com suas histórias e poéticas. Um convite para aquelas que querem brincar com figuras, cantos, danças, ancestralidades e práticas de cuidados. Pode ser vivenciada em grupo ou individualmente.

Mediação Cultural

Em nossas mediações culturais, junto a públicos diversos, nos colocamos enquanto corpo-artístico-político-pedagógico, propondo reflexões sobre quais lugares reais, imaginários e encantados habitamos, entendendo as manifestações tradicionais como principal referência para as práticas educativas e de mediação cultural.

Consultoria Pedagógica

Serviços de consultorias pedagógicas para projetos de arte e educação, com abordagens fundamentadas na Pedagogia Griô enquanto ferramenta curatorial para processos pedagógicos.

Oficina Vivencial Almas Derramadeiras

Espaço de criação poética, troca e aprendizagem coletiva com a Palavra. Propõe a conexão com temas como identidade, ancestralidade, território-corpo e oralidade. Vivências conduzidas pela contação de história, pelo canto e pela brincadeira. É um convite para quem busca pelo estreitamento de vínculo consigo e com as próprias palavras.

Blog

As primeiras rodas da Onça Yaiá

As primeiras rodas da Onça Yaiá

As rodas da Onça são guiadas por Maria das Alembranças, a avó da brincadeira, em um processo criativo colaborativo com a encantaria ancestral de cada mulher brincante da roda. É um religamento de cordões, mundos e tempos... arte, ancestralidade e magia… feitio de...

De onde vem a história da Onça YaYá

De onde vem a história da Onça YaYá

Tudo começou dentro dos processos criativos da Oficina Mulheres Brincantes, um espaço de acolhimento e criação artística entre mulheres e em toda a sua diversidade, criado por Luciana Meireles, em 2015. A oficia é um transbordamento de vivências dentro das...

61 9.9911-1882 – Luciana Meireles
casamoringa@gmail.com