Tetéu é andarilha. Rainha das beiras do mundo. Tem como missão gritar no vento as histórias dos povos que vivem às margens. Ela sacode o tapete e varre para fora a poeira escondida por milênios, abalando as estruturas com sua graça endoidecida. Tetéu é avesso do avesso do avesso…
 

Foto: Davi Mello / Pareia

 
Flávia Aguiar é servidora da Secretaria de Cultura, onde atua como radialista na rádio pública do DF – Cultura 100,9 FM. Com o programa e podcast Beira Mundo – idealizado por ela – tem se destacado como agente cultural propulsora de culturas invisibilizadas do Brasil e do mundo. É produtora audiovisual e comunicóloga, formada na Universidade de Brasília. É também dj, produtora cultural, atriz e pesquisadora de musicalidades de povos e culturas tradicionais.

“Eu não me vejo ainda como uma mulher brincante. Eu sou uma mulher que gosta de brincar, que tá brincando e que tem brincado. Eu sou uma grande encantada por essas culturas. Sou pesquisadora de culturas tradicionais, sou apaixonada por essas tradições e por todas essas brincadeiras. Mas me sinto como uma aprendiz nesse processo da brincadeira. Fazer parte das pessoas que brincam, junto com a Casa Moringa, pra mim tá sendo uma experiência nova de aprendizado. É um mergulho. Pra eu me chamar de brincante, acho que preciso ir bem mais profundo. Me sinto ainda aprendiz dessa brincadeira toda. Mas tenho levado muito a sério e tenho gostado muito da experiência.”